10 coisas que você precisa saber sobre diabetes

O diabetes se caracteriza pela deficiência de produção e/ou de ação da insulina. O diabetes tipo 1 é resultante da destruição autoimune das células produtoras de insulina. O diagnóstico desse tipo de diabetes acontece, em geral, durante a infância e a adolescência, mas pode também ocorrer em outras faixas etárias.

Já no diabetes tipo 2, o pâncreas produz insulina, mas há incapacidade de absorção das células musculares e adiposas. Esse tipo de diabetes é mais comum em pessoas com mais de 40 anos, acima do peso, sedentárias, sem hábitos saudáveis de alimentação, mas também pode ocorrer em jovens.

Confira 10 coisas que você precisa saber sobre os dois tipos mais comuns de diabetes:

1. No tratamento do diabetes, o ideal é que a glicose fique entre 70 e 100mg/dL. A partir de 100mg/dL emjejum ou 140mg/dL duas horas após as refeições, considera-se hiperglicemia e, abaixo de 70mg/dL,hipoglicemia. Se a glicose permanecer alta demais por muito tempo, haverá mais possibilidade de complicações de curto e longo prazo. A hipoglicemia pode causar sintomas indesejáveis e com complicações que merecem atenção.

2. Tanto insulina, quanto medicação oral podem ser usadas para o tratamento do diabetes. A insulina é sempre usada no tratamento de pacientes com diabetes tipo 1, mas também pode ser usada em diabetes gestacional e diabetes tipo 2 (quando o pâncreas começa a não produzir mais insulina em quantidade suficiente). A medicação oral é usada no tratamento de diabetes tipo 2 e, dependendo do princípio ativo, tem o papel de diminuir a resistência à insulina ou de estimular o pâncreas a produzir mais desse hormônio.

3. A prática de exercícios pode ajudar a controlar a glicemia e a perder gordura corporal, além de aliviar o estresse. Por isso, pessoas com diabetes devem escolher alguma atividade física e praticar com regularidade, sob orientação médica e de um profissional de educação física.

4. A contagem de carboidratos se mostra muito benéfica para quem tem diabetes. Os carboidratos têm o maior efeito direto nos níveis de glicose, e esse instrumento permite mais variabilidade e flexibilidade na alimentação, principalmente para quem usa insulina, pois a dose irá variar conforme a quantidade de carboidratos. Isso acaba com a rigidez no tratamento de antigamente, quando as doses de insulina eram fixas, e a alimentação também devia ser. É importante ter a orientação de um nutricionista.

5. As tecnologias têm ajudado no tratamento do diabetes. Os aparelhos vão desde os glicosímetros (usados para medir a glicose no sangue) até bombas de infusão de insulina e sensores contínuos de monitorização da glicose.

6. Se o diabetes não for tratado de forma adequada, podem surgir complicações, como retinopatia, nefropatia, neuropatia, pé diabético, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, entre outros. Se o paciente já estiver com diagnóstico de complicação crônica, há tratamentos específicos para ajudar a levar uma vida normal.

7. A educação em diabetes é muito importante para o tratamento. Não só o paciente precisa ser educado, mas também seus familiares e as pessoas que convivem com ele. Assim, o paciente pode ter o auxílio e o suporte necessários para um bom tratamento e tomar as decisões mais adequadas com base em conhecimento.

8. Muitos casos de diabetes tipo 2 podem ser evitados quando se está dentro do peso normal, com hábitos alimentares saudáveis e com prática regular de atividade física.

9. O fator hereditário é mais determinante no diabetes tipo 2. Ainda se estuda o que desencadeia o diabetes tipo 1 e, por enquanto, as infecções, principalmente virais, parecem ser as maiores responsáveis pelo desencadeamento do processo autoimune. No tipo 2, os casos repetidos de diabetes em uma mesma família são comuns, enquanto a recorrência familiar do diabetes tipo 1 é muito pouco frequente.

10. Ainda não há cura para o diabetes. Porém, estão sendo realizados estudos que, no futuro, podem levar à cura. Para o diabetes tipo 1, está sendo estudada a terapia com células-tronco em pacientes recém-diagnosticados. Já para o diabetes tipo 2, os estudos com a cirurgia de redução de estômago (gastroplastia) têm mostrado aparentes bons resultados, mesmo em pacientes que não estão acima do peso. Salienta-se que esses métodos ainda são absolutamente experimentais.

 

Informativo da Saúde • Dia Mundial do Câncer

Criado em 2005 pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), o Dia Mundial do Câncer é celebrado em 04 de fevereiro e tem como objetivo aumentar a conscientização sobre a doença, que mata 8,3 milhões de pessoas por ano no mundo.A data visa mobilizar pessoas e organizações no mundo todo para reforçar a importância de adoção de hábitos saudáveis, atitudes de prevenção, diagnóstico precoce e tratamento.Não fume! Essa é a regra mais importante para prevenir o câncer, principalmente os de pulmão, cavidade oral, laringe, faringe e esôfago. Ao fumar, são liberadas no ambiente mais de 4.700 substâncias tóxicas e cancerígenas que são inaladas por fumantes e não fumantes.Alimentação saudável protege contra o câncer. A alimentação deve ser variada, equilibrada, saborosa, respeitar a cultura e proporcionar prazer e saúde. Frutas, legumes, verduras, cereais integrais e feijões são os principais alimentos protetores. Mantenha o peso corporal adequado.Estar acima do peso aumenta as chances de desenvolver câncer. Por isso, é importante controlar o peso por meio de uma boa alimentação e manter-se ativo. Pratique atividades físicas diariamente. A atividade física consiste na iniciativa de se movimentar, de acordo com a rotina de cada um. Você pode, por exemplo, caminhar, dançar, trocar o elevador pelas escadas ou levar o cachorro para passear.Amamente.O aleitamento materno é a primeira alimentação saudável. A amamentação exclusiva até os seis meses de vida protege as mães contra o câncer de mama e as crianças contra a obesidade infantil. Mulheres sexualmente ativas, devem fazer um exame preventivo ginecológico anualmente.As alterações das células do útero são descobertas facilmente no exame preventivo, e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso, é importante a realização periódica deste exame. Tão importante quanto fazer o exame é saber o resultado e seguir as orientações médicas. Evite a ingestão de bebidas alcoólicas. Seu consumo, em qualquer quantidade, contribui para o risco de desenvolver câncer. Além disso, combinar bebidas alcoólicas com o tabaco aumenta a possibilidade do surgimento da doença.Homens a partir de 40 anos com fator genético e a partir de 50 anos de idade.Devem fazer anualmente o exame de próstata.
 

Informativo da Saúde • Benefícios da Àgua

A água é um recurso essencial para a sobrevivência de todos os seres vivos. Ela atua mantendo nosso corpo hidratado, ajuda no transporte de substâncias, regula a nossa temperatura e participa de reações químicas.A IMPORTÂNCIA DA HIDRATAÇÃOAjuda a prevenir a constipaçãoUmedece tecidos da boca, olhos e nariz.Evita inchaço e retenção de líquidos.Auxilia na absorção de diversos nutrientes.Diminui o desgaste dos rinsAuxiliando na eliminação de diversas substâncias.DICASColocar rodelas de limão, hortelã ou frutas vermelhas na água pode ser um bom incentivo para ingerir mais líquidos.Inclua na sua dieta alimentos como frutas, sucos de frutas, verduras e legumes.
 

03 de Março • Dia Mundial da Audição

Esse dia escolhido pela Organização Mundial de Saúde para celebrar a audição, com a intenção de promover o debate sobre questões de saúde auditiva. Em todo o mundo, 360 milhões de pessoas sofrem, atualmente, de problemas auditivos, que se devem a causas diversas: doenças infeciosas, questões genéticas, complicações no momento do nascimento, uso de certos fármacos, excesso de ruído e envelhecimento.Você já observou o quanto é crescente a utilização de fone de ouvido pela população? Saímos de casa com eles em nossos ouvidos e seguimos com eles em nossa jornada de trabalho (e em muitas vezes, na volta para casa também!). Toda essa nova utilização do fone de ouvido tem preocupado as organizações internacionais e, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS) a perda auditiva já é considerada uma epidemia.COMO RECONHECER PERDA AUDITIVATivemos um importante progresso durante a última década na compreensão do sistema auditivo e as seguintes perguntas ajudarão a reconhecer perda auditiva e determinar se você precisa ter sua audição avaliada por um médico:1. Você tem dificuldade de ouvir quando está ao telefone?(   )Sim (   )Não2. Você tem dificuldade para seguir a conversa quando duas ou mais pessoas estão falando ao mesmo tempo?(   )Sim (   )Não3. As pessoas se queixam que você deixa o volume da TV muito alto? (   )Sim (   )Não4. Você tem de se esforçar para entender uma conversa?(   )Sim (   )Não5. Você tem problemas em ouvir quando há algum ruído ao seu redor?(   )Sim (   )Não6. Você pede para que as pessoas repitam o que foi dito? (   )Sim (   )Não7. Você acha que a maioria das pessoas que você conversa parece estarmurmurando?(   )Sim (   )Não8. Você responde inadequadamente quando não compreende a uma pergunta?(   )Sim (   )Não9. Você tem dificuldades em entender o discurso  de mulheres e crianças?(   )Sim (   )NãoSE VOCÊ RESPONDEU “SIM” A TRÊS OU MAIS DESSAS PERGUNTAS, PROCURE UM OTORRINOLARINGOLOGISTA.QUAIS SÃO OS TRATAMENTOS PARA A PERDA AUDITIVA?Existem diferentes tratamentos para a perda auditiva, mas sempre consulte um especialista.Se você não tratou antes e está com perda moderada severa, a solução são os aparelhos auditivos que tem como finalidade ajudar as pessoas com perda auditiva a perceber os sons.