Autoestima

AUTOESTIMA é uma qualidade de quem se valoriza, está satisfeito com seu modo de ser, com sua forma de pensar ou com sua aparência física, expressando confiança em suas ações e opiniões

O melhor caminho para melhorar a autoestima é o AUTOCONHECIMENTO.

A autoestima começa a se formar na infância, tendo como base a educação e o tratamento recebido dos familiares, amigos e professores.

O QUE DIMINUI A AUTOESTIMA?

• VERGONHA
• INVEJA
• TIMIDEZ
• INSEGURANÇA
• MEDO
• HUMILHAÇÃO
• RAIVA
• CRÍTICAS E AUTOCRÍTICAS
• CULPA
• ABANDONO
• REJEIÇÃO
• CARÊNCIA
• FRUSTRAÇÃO
• PERDAS E DEPENDÊNCIA

O QUE FAZER PARA AUMENTAR A AUTOESTIMA?

• PARAR DE SE CRITICAR
• PARAR DE SE COMPARAR
• APRENDER COM A EXPERIÊNCIA PASSADA
• TRATAR-SE COM AMOR
• OUVIR A INTUIÇÃO
• MANTER DIÁLOGO INTERNO
• AFASTAR-SE DE PESSOAS NEGATIVAS
• PENSAR COISAS POSITIVAS A SEU RESPEITO
• FAZER POR VOCÊ O QUE FAZ PELAS PESSOAS QUE MAIS AMA
• FAZER TODO DIA ALGO QUE O DEIXE FELIZ.
• ENCONTRE O EQUILÍBRIO
• OLHAR O LADO BOM DAS COISAS

“Querer ser outra pessoa é DESPERDIÇAR a pessoa que VOCÊ É” Marilyn Monroe

 

Planos de saúde serão reajustados em até 13,57%, autoriza ANS

Os planos de saúde individuais e familiares serão reajustados em até 13,57%, segundo autorização da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A decisão foi publicada no Diário Oficial do dia 06/07/16. O percentual, válido para o período de maio de 2016 a abril de 2017, atinge cerca de 8,3 milhões de beneficiários – cerca de 17% do total de 48,5 milhões de consumidores de planos de assistência médica no Brasil. O índice atinge apenas planos individuais e familiares. O reajuste de planos coletivos empresariais é calculado com base na livre negociação entre as operadoras e as empresas, fundações, associações, conselhos profissionais. O reajuste de 13,57% é válido para os planos de saúde contratados a partir de janeiro de 1999, ou adaptados à Lei nº 9.656/98, segundo a ANS. Ele só pode ser aplicado a partir da data de aniversário de cada contrato. Se o mês de aniversário for maio ou junho, será permitida cobrança retroativa, nas mensalidades de julho e agosto. Para os contratos com aniversário entre os meses de julho de 2016 e abril de 2017 não poderá haver cobrança retroativa. Mais uma vez o teto de reajuste fica acima da inflação. Em 2015, o reajuste máximo foi fixado em 13,55%. Em 2014, foi de 9,65%. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, atingiu 0,61% em abril, acumulando 9,28% em 12 meses.   Média dos planos coletivos A agência afirma que a metodologia utilizada para calcular o índice máximo de reajuste anual dos planos individuais/familiares é a mesma desde 2001 e leva em consideração a média dos percentuais de reajuste aplicados pelas operadoras aos contratos de planos coletivos com mais de 30 beneficiários. "A ANS não define percentual máximo de reajuste para os planos coletivos por entender que as pessoas jurídicas possuem maior poder de negociação junto às operadoras, o que, naturalmente, tende a resultar na obtenção de percentuais vantajosos para a parte contratante", explica a agência. A ANS disponibilizou em seu site um Perguntas e Respostas sobre o reajuste.   Perda de clientes Os planos de saúde perderam 951 mil clientes neste ano, segundo dados da ANS. O setor reúne atualmente 48.490 milhões de beneficiários em planos de assistência médica, uma queda de 12% ante a um total de 49,441 milhões de beneficiários em dezembro do ano passado.Fonte: G1
 

Seguro D&O tem novas regras, divulgadas hoje pela Susep

Foi publicada a Circular Susep 553, de 23 de maio de 2017, que estabelece diretrizes gerais aplicáveis aos seguros de responsabilidade civil de diretores e administradores de pessoas jurídicas (seguro de RC D&O), e dá outras providências. Segundo a Susep, os planos atualmente em comercialização, que estejam em desacordo com as disposições da nova circular, deverão ser substituídos e adaptados às novas regras, mediante a abertura de novo processo administrativo. Depois de muitas reuniões, das quais participaram além dos players do mercado, instituições como Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca) e Ordem dos Advogados (OAB), a Susep entendeu que seria necessário discutir melhor as mudanças. Juntos, todos buscaram lapidar as regras do produto. Até então, o que prevalecia no mercado era uma apólice na base “all-risks”. Isso significa que tudo aquilo que não está descrito explicitamente no contrato como coberturas excluídas ou ações excluídas é passível de cobertura. Só que com a explosão das denúncias da Lava Jato e a recessão da economia, tudo começou a ser questionado, e a Susep passou a apólice de “all risks” para “riscos nomeados”, determinando as coberturas. A Lava Jato só agilizou os ajustes das regras, aumentou a demanda pelo produto ao trazer mais consciência da exposição dos administradores aos riscos de uma economia em baixa e elevou os investimentos das empresas em compliance. Boa parte das sugestões solicitadas pelas seguradoras foi atendida para que o produto esteja disponível para o público, tanto empresas como pessoas físicas. Em 2016 a carteira manteve um crescimento baixo, em torno de 1,5%, com prêmio direto de R$ 373 milhões. Para ler a circular na íntegra, Clique aqui. 
 

SARAMPO - Sintomas, transmissão e prevenção.

SINTOMASPrincipais sinais:• Tosse;• Coriza;• Conjuntivite;• Febre alta, acima de 38,5°C;• Dor de cabeça;• Manchas brancas que aparecem na mucosa bucal conhecida como sinal de koplik, que antecede de 1 a 2 dias antes do aparecimento das manchas vermelhas;• Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, em seguida, se espalham pelo corpo.PREVENÇÃOA vacinação contra o sarampo é a única maneira de prevenir a doença. Neste ano, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo será realizada entre 6 e 31 de agosto, sendo o dia 18 de agosto o dia de mobilização nacional - o 'Dia D'. Nesta semana as crianças devem ser levadas aos serviços de saúde mesmo que tenham sido vacinadas anteriormente. • Cobrir nariz e boca quando espirrara ou tossir, utilizando um lenço descartável ou a parte interna dos braços, nunca a mão;• Não compartilhar copos talheres ou alimentos;• Manter os ambientes sempre limpos e ventilados;• Sempre que possível evitar aglomerações ou locais pouco arejados;• Evitar tocar os olhos, nariz e boca após contato com superfícies potencialmente contaminadas (Ex: corrimão de escadas e Trem/Metrô, bancos de transportes públicos, maçanetas de portas;• Evitar contato próximos de pessoas doentes;• Lavar a mão com água e sabão regularmente depois de tossir ou espirrar, após usar o banheiro e antes de comer, ou utilizar álcool gel caso não haja sujidade aparente) TRANSMISSÃOA transmissão do sarampo ocorre de forma direta, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Por isso, o elevado poder de contágio da doença. A transmissão ocorre de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento do exantema (Manchas Vermelhas ou Vermelhidão) . O período de maior transmissibilidade ocorre 2 dias antes e 2 dias após o início do exantema. O vírus vacinal não é transmissível. O sarampo afeta, igualmente, ambos os sexos. A incidência, a evolução clínica e a letalidade são influenciadas pelas condições, nutricionais, imunitárias e àquelas que favorecem a aglomeração em lugares públicos.NÃO DEVEMRECEBER A VACINA:• Casos suspeitos de sarampo• Gestantes - Devem esperar para serem vacinadas após o parto. Caso esteja planejando engravidar, assegure-se que você está protegida. Um exame de sangue pode dizer se você já está imune à doença. Se não estiver, deve ser vacinada um mês antes da gravidez. Espere pelo menos quatro semanas antes de engravidar.• Menores de 6 meses de idade• ImunocomprometidosTRATAMENTONão existe tratamento específico para o sarampo. É recomendável a administração da vitamina A em crianças acometidas pela doença, a fim de reduzir a ocorrência de casos graves e fatais. O tratamento profilático com antibiótico é contraindicado. Para os casos sem complicação, manter a hidratação, o suporte nutricional e diminuir a hipertermia. Muitas crianças necessitam de quatro a oito semanas para recuperar o estado nutricional que apresentavam antes do sarampo. Complicações como diarreia, pneumonia e otite média devem ser tratadas de acordo com normas e procedimentos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.