Dia Mundial do Doador de Sangue.

14 de junho

Você salva vidas.

• Somente 1,8% da população brasileiradoa sangue, número bem abaixoda meta da OMS que é de 3%.
• Apenas 1 bolsa de sangue pode salvar 4 vidas.
• No Brasil, 3,5 milhões de pessoas realizam transfusões sanguíneas por ano.

Requisitos para doar
Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho, entre outros).

• Estar em boas condições de saúde.
• Ter entre 16 e 69 anos.
• Pesar no mínimo 50kg.

Para doar sangue você não deve:
Ter doenças transmissíveis pelo sangue (AIDS e Hepatite);
Ser usuário de drogas injetáveis e inalatórias;
Praticar sexo não seguro ou ter vários parceiros sexuais.

Qual o intervalo entre as doações?
Homens podem doar a cada 2 meses, até no máximo 4 vezes no período de 12 meses;
Mulheres podem doar a cada 3 meses, até no máximo 3 vezes no período de 12 meses.

O dia 14 de Junho foi determinado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), para sensibilizar as pessoas e lembrá-las da importância da doação de sangue, um gesto que pode salvar vidas.

 

Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio

Todos os anos no DIA MUNDIAL DE PREVENÇÃO AO SUICÍDIO (10 de setembro), a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta para este grave problema de saúde pública responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo. Segundo últimas estatísticas da agência da ONU, mais de 800 MIL PESSOAS MORREM por suicídio todos os anos no mundo, sendo a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. 75% dos suicídios ocorrem em países de baixa e média renda.“Para cada suicídio, há muito mais pessoas que tentam a cada ano. A tentativa prévia é o fator de risco mais importante para o suicídio na população em geral”A ingestão de pesticida, enforcamento e armas de fogo estão entre os métodos mais comuns de suicídio em nível global.Enfrentamento de conflitos, desastres, violência, abusos ou perdas e um senso de isolamento estão fortemente associados com o comportamento suicidaREGRAS DOS 4DSão quatro os sentimentos principais de quem pensa em se matar. Todos começam com ¨D¨:DEPRESSÃODESAMPARODESESPERANÇADESESPEROCaso note alguém com este comportamento, oriente a procurar ajuda médica especializada. A tarefa mais importante é ouvi-las efetivamente. Conseguir esse contato e ouvir é por si só o maior passo para reduzir o nível de desespero suicida.COMO SE COMUNICAR :1° OUÇA ATENTAMENTE E COM CALMA 2° TENTE ENTENDER OS SENTIMENTOS DA PESSOA 3° DÊ MENSAGENS NÃO VERBAIS DE ACEITAÇÃO E RESPEITO 4° EXPRESSE RESPEITO PELAS OPNIÕES E PELOS VALORES DA PESSOA 5° CONVERSE HONESTAMENTE E COM AUTENTICIDADE 6° MOSTRE SUA PREOCUPAÇÃO, CUIDADO E ATENÇÃO 7° FOCALIZE NOS SENTIMENTOS DA PESSOA8° INCENTIVE A PESSOA A PROCURAR AJUDA PROFISSIONAL
 

E&O - Seguro para empresas de TI evita perdas financeiras

Com o crescimento do acesso à internet em multiplataformas e a evolução de softwares especializados, profissionais da área de TI e prestadores de serviços observam com otimismo o aumento de suas demandas. Proporcionalmente elevados também são os riscos e responsabilidades atrelados à prestação de serviço que requer cumprir prazos em curto período de tempo e ao mesmo tempo possui o desafio de recursos capacitados com a disponibilidade necessária. Neste cenário, tornam-se cada vez mais comuns a ocorrência de erros no desenvolvimento de atividades e consequentemente reclamações de clientes pedindo a reparação dos alegados prejuízos em decorrência de falha no desenvolvimento de um software, de um aplicativo que não atendeu as expectativas do cliente ou o não cumprimento de prazo.   O seguro de RC Profissional, também conhecido por E&O (Erros & Omissões), tem como objetivo resguardar empresas de TI por reclamações decorrentes de ato, erro ou omissão na prestação de serviço que gerem perdas financeiras a seus clientes.   Segundo Flavio Sá, gerente de Linhas Financeiras da AIG Brasil, “o mercado de TI segue prosperando e demanda um capital humano extremamente preparado, porém com a rápida resposta necessária é comum que erros aconteçam. O seguro de RC Profissional tem se tornado uma alternativa válida para o gerenciamento de risco, refletida pelo aumento da demanda por esse tipo de proteção, impulsionado pela maior consciência dos clientes ao buscarem reparação por atos de negligência, imprudência e imperícia profissional.”   Perdas cobertasA apólice oferece cobertura para os custos de defesa, incluindo honorários advocatícios, em ações judiciais, extrajudiciais, além do pagamento da indenização pecuniária. Dentre outros danos que possam ser indenizados está o extravio, roubo ou furto de documentos de clientes ou terceiros, incluindo registros de informática, danos morais e a responsabilidade de terceirização de serviços.
 

SAIBA COMO CUIDAR DO SEU CARRO EM CASO DE ENCHENTE

Estamos no verão, tempo de sol e também das chuvas e temidas enchentes. Quem tem um carro e passa constantemente por regiões com risco de alagamento sabe a dor de cabeça que dá ter que ficar ilhado enquanto espera a água baixar – ou quando o veículo é invadido pela água, por todos os lados.O quadro pode ser desesperador, mas saiba que com seu seguro de carro, você está protegido contra esse tipo de problema.A Superintendência de Seguros Privados (Susep) determina que os planos básicos – ou seja, aqueles que possuem cobertura contra colisão, roubo e incêndio – também incluam a cobertura relacionada à submersão total ou parcial do veículo. No entanto, esta vale somente se não for em água salgada.Vale lembrar que, caso seja confirmada atitudes que agravem os riscos, como tentar passar pela enchente ao invés de deixar o carro estacionado, esperando baixar o nível de água, as seguradoras não aceitarão reembolsar o cliente.Dicas:Evite pontos de alagamento;Em caso de inundação, solicite um guincho para levar o veículo a um local seguro. É importante autorizar o conserto do veículo somente após a liberação da seguradora, que irá avaliar se há recuperação ou perda total;Quando há recuperação: os danos parciais podem variar entre prejuízos ao motor, elétrica, funilaria, estofamento e acabamento. Caso haja seguro – e o valor não ultrapasse o estipulado pela franquia – há cobertura;Quando não há recuperação: quando os danos ultrapassam 70% do valor do veículo, se considera perda total, e sua indenização é igual à de uma batida ou roubo. O motorista só será indenizado, caso se comprove que não houve agravamento de risco desnecessário (como atravessar pelo alagamento, por conta própria).Fonte: Revista Apólice