Protetor Solar

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, o corretor é aplicar o protetor 30 minutos antes de se expor ao sol.


Confira algumas dicas para aproveitar o sol sem preocupações nesse carnaval:

  • Aplique generosamente o filtro solar, 20 a 30 minutos antes de sair ao sol. Lembre-se de reaplicar o filtro a cada 2 horas ou após mergulhar.
  • Use filtro solar com FPS 30 ou maior. Pessoas de pele muito escura podem usar filtros solares com fator de proteção 15.
  • Peles claras e pessoas ruivas exigem maiores cuidados, pois são mais propensas ao câncer da pele. 
  • Mormaço também queima. Não se engane. Mesmo nos dias nublados, use filtros solares.
  • A proteção solar das crianças é responsabilidade dos pais! Proteja as crianças.
  • Use bonés, viseiras ou chapéus. Cerca de 70% dos cânceres da pele ocorrem na face, proteja-a sempre. 

Quem se ama, protege a pele. Previna-se!
 

Dicas de Saúde

MUDE HÁBITOS INVISTA EM SAÚDEDURMA BEM: Uma boa noite de sono é o primeiro passo para um dia mais produtivo. Preconiza-se 8 horas de sono. FAÇA EXERCÍCIOS FÍSICOS:30 minutos diários de atividade física de forma contínua. COMA BEM:A alimentação também in?uência na nossa qualidade de vida, façarefeições saúdaveis.Tenha encontros com você mesmo; tenha tempo PARA VOCÊ;Dê bastante risada: dar boas gargalhadas tem um efeito muito bené?co sobre a nossa saúde mental.Aprenda a dizer “não”: dizer “não” para situações e pessoas que não nos agradam é muito valioso.Esteja aberto a novas experiências: a resistência a mudanças leva à estagnação, que é negativa do ponto de vista pessoal e pro?ssional. VISITE SEU MÉDICO E DENTISTA REGULARMENTE: UMA VEZ POR ANO. Preste atenção aos sinais do corpo: • Diga não á obesidade;• Evite o fumo e a ingestão demasiada de bebidas alcoólicas;• Não discuide do lazer;• Controle a pressão arterial;• Controle o colesterol.Alongue suas ideias; seja flexível;otimista; tolerante; faça diariamenteuma higiene mental.
 

CANCELAMENTO DE PLANO DE SAÚDE: ENTENDA O QUE MUDA COM A RN 412

As novas regras que regulamentam o cancelamento de planos de saúde começam a valer a partir de hoje (10/05/17). Segundo a ANS a Resolução 412 se aplica a todos os planos contratados após 1º de janeiro de 1999 ou sob a lei 9.656/98. Publicada em novembro do ano passado, a resolução cria regras específicas para quando o cliente deseja cancelar seu contrato com a operadora, seja ele individual, familiar ou coletivo (empresarial ou por adesão). A norma  vai exigir que a ANS fiscalize e acompanhe o cumprimento destas garantias pelas operadoras, ficando as mesmas sujeitas a uma multa de R$ 30 mil. A nova regra beneficia o consumidor em três pontos principais: 1) o cancelamento imediato do plano, 2) a exclusão do titular do plano familiar, 3) a possibilidade de cancelar o contrato mesmo em caso de inadimplência. A única questão que não mudou foi a da multa pelo cancelamento do contrato nos primeiros 12 meses do plano, por quebra contratual se ela estiver prevista no contrato. Veja abaixo os principais pontos da resolução 412: Cancelamento imediato do plano Como era: anteriormente, os consumidores aguardavam um prazo de aviso prévio de cerca de 30 dias para poder deixar o plano de saúde. Como fica: com a resolução, o pedido de cancelamento feito pelo beneficiário tem efeito imediato e ele já deixa de ter obrigações com a operadora. Exclusão do titular no plano familiar Como era: geralmente, as operadoras estipulavam que se o titular de um plano familiar quisesse sair, todos os beneficiários perdiam o plano. Como fica: Se o titular quiser deixar o plano familiar, os dependentes continuam com o direito de permanecer nessa apólice com as mesmas condições contratuais. Cancelamento em caso de inadimplência Como era: o beneficiário que deixou de pagar as prestações do plano muitas vezes ficava impedido pela operadora de cancelar o plano e procurar outro de valor mais baixo. Como fica: o consumidor pode cancelar o plano e contratar outro mesmo inadimplente e pode negociar os valores em atraso posteriormente com a operadora. Comprovante de cancelamento Como era: não existia a obrigação de fornecer um comprovante de cancelamento do contrato. Como fica: a operadora será obrigada a fornecer um comprovante do pedido de cancelamento ou de exclusão do beneficiário em até 10 dias úteis. Este documento deve informar eventuais cobranças de serviços e dúvidas do cliente.” A partir desse momento, o plano de saúde estará cancelado para o titular e seus dependentes”, diz a ANS. Clique aqui e acesse a RN 412 na íntegra.  Fonte: ANS
 

SAIBA COMO CUIDAR DO SEU CARRO EM CASO DE ENCHENTE

Estamos no verão, tempo de sol e também das chuvas e temidas enchentes. Quem tem um carro e passa constantemente por regiões com risco de alagamento sabe a dor de cabeça que dá ter que ficar ilhado enquanto espera a água baixar – ou quando o veículo é invadido pela água, por todos os lados.O quadro pode ser desesperador, mas saiba que com seu seguro de carro, você está protegido contra esse tipo de problema.A Superintendência de Seguros Privados (Susep) determina que os planos básicos – ou seja, aqueles que possuem cobertura contra colisão, roubo e incêndio – também incluam a cobertura relacionada à submersão total ou parcial do veículo. No entanto, esta vale somente se não for em água salgada.Vale lembrar que, caso seja confirmada atitudes que agravem os riscos, como tentar passar pela enchente ao invés de deixar o carro estacionado, esperando baixar o nível de água, as seguradoras não aceitarão reembolsar o cliente.Dicas:Evite pontos de alagamento;Em caso de inundação, solicite um guincho para levar o veículo a um local seguro. É importante autorizar o conserto do veículo somente após a liberação da seguradora, que irá avaliar se há recuperação ou perda total;Quando há recuperação: os danos parciais podem variar entre prejuízos ao motor, elétrica, funilaria, estofamento e acabamento. Caso haja seguro – e o valor não ultrapasse o estipulado pela franquia – há cobertura;Quando não há recuperação: quando os danos ultrapassam 70% do valor do veículo, se considera perda total, e sua indenização é igual à de uma batida ou roubo. O motorista só será indenizado, caso se comprove que não houve agravamento de risco desnecessário (como atravessar pelo alagamento, por conta própria).Fonte: Revista Apólice