Um carro é roubado a cada minuto no Brasil

Entre 2014 e 2015, mais de um milhão de veículos foram roubados ou furtados no Brasil, o que dá uma impressionante média de um caso a cada um minuto. Os dados são do 10º Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado no dia 3 de novembro pelo Fórum Brasileiro da Segurança Pública.

Apesar do número alarmante, 2015 registrou uma pequena queda no número absoluto de ocorrências. Tanto no ano passado, como em 2014, foram roubados 242 mil carros. Já os furtos caíram de 270 mil para 267 mil.

Importante frisar que roubo é quando há contato do assaltante com a vítima, que usa violência ou amaça para praticar o crime. Furto é quando não há esse contato.

Na soma de roubos e furtos, foram 513 mil casos, em 2014, e 509 mil, em 2015. Como houve crescimento da frota, a taxa de 2015 ficou em 562 veículos roubados por cada 100 mil registrados no país, menor que em 2014, quando a taxa era de 591 por 100 mil veículos.

Roubo e furto de veículos

2014 – 513.023 (591,7 por 100 mil veículos)
2015 – 509.978 (562,4 por 100 mil veículos)

A maior taxa de roubo/furto do país está em Goiás, onde foram 798 veículos tomados em 2015 por cada 100 mil. Rio de Janeiro (775 por 100 mil) e São Paulo (711) vêm logo em seguida e fecham o top 3 de Estados com mais furtos e roubos.

Em números absolutos, São Paulo é o Estado com o maior número de roubos e furtos, com 189 mil casos de 2015 –queda de 14,5% ao ano anterior, quando foram subtraídos 221 mil veículos.

Previna-se: Faça seu seguro com a APR Seguros.

Acesse: www.aprseguros.com.br

Fonte
Portal UOL

 

Informativo da Saúde • Carnaval Seguro 2019

Doenças Sexualmente Transmissíveis As (DST) são causadas por vários tipos de agentes. São transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de camisinha, com uma pessoa que esteja infectada e, geralmente, se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. HIV/AIDS Aids, ou Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, é uma doença infecto-contagiosa causada pelo vírus HIV (Human Immunodeficiency Virus), que leva à perda progressiva da imunidade. A doença caracteriza-se por um conjunto de sinais e sintomas advindos da queda de defesa imunológica do organismo.TRANSMISSÃO HIV/AIDS• Relações Sexuais (vaginal, oral e anal) sem o uso correto da camisinha;• Transfusão de sangue (ou derivados) contaminados;• Uso de drogas injetáveis, utilizando agulhas ou seringas de pessoas infectadas;PEP SEXUAL - PROFILAXIA PÓS-EXPOSIÇÃO• É uma forma de prevenção da infecção pelo HIV usando os medicamentos que fazem parte do coquetel utilizado no tratamento da Aids, para pessoas que possam ter entrado em contato com o vírus recentemente.• Essa forma de prevenção já é usada com sucesso nos casos de violência sexual e de profissionais de saúde que se acidentam com agulhas e outros objetos cortantes contaminados.PREVENÇÃO: PRESERVATIVOS (MASCULINO/FEMININO).IMPORTANTE: Somente um médico pode diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.Atenção: No caso de um possível contato com o vírus HIV, busque, o quanto antes, um serviço credenciado. Esse primeiro atendimento é considerado de urgência porque o uso dos medicamentos deve começar o mais cedo possível. O ideal é que comece a tomar a medicação em até 2 horas após a exposição ao vírus HIV e no máximo após 72 horas. A eficácia da PEP pode diminuir à medida que as horas passam.
 

INFORMATIVO DA SAÚDE • PROTETOR SOLAR

O FATOR DE PROTEÇÃO SOLAR (FPS) É UM ÍNDICE QUE DETERMINA O TEMPO DE EXPOSIÇÃO AOS RAIOS SOLARES, COM A PELE DEVIDAMENTE PROTEGIDA, SEM QUE OCORRA A VERMELHIDÃO, GERADA PELA DILATAÇÃO DOS VASOS SANGUÍNEOS.Imagine que o tempo de exposição ao Sol capaz de gerar a vermelhidão em um indivíduo com a pele desprotegida seja de 5 minutos. Com o uso de um protetor solar de FPS 20, esse tempo será 20 vezes maior, assim, o indivíduo poderá permanecer exposto aos raios solares por até 100 minutos sem sofrer danos. (20x5=100)RAIOS UVA E UVBOs raios UVA penetram profundamente na pele e são os principais responsáveis pelo envelhecimento das células da epiderme. Essa radiação também tem uma participação em alergias, e predispõe a pele ao surgimento do câncer. A radiação UVB é mais intensa durante o verão, devido as elevadas temperaturas, predominantemente entre as 10h da manhã e às 16h da tarde. Esta radiação penetra superficialmente a pele e é a responsável pelas queimaduras provocadas pelo sol.ENTÃO, O QUE DEVEMOS OBSERVAR NO RÓTULO DE UM FILTRO SOLAR?Para não errar na escolha do produto, entenda as informações contidas no rótulo:Encontre o termo “amplo espectro”. Isso significa que o filtro solar pode proteger sua pele dos dois tipos de raios UV prejudiciais – os raios UVA e UVB, além do infravermelho e luz visível;Fique atento ao FPS. Para uma proteção eficaz da pele, recomenda-se filtro solar com índice de FPS 30 ou superior; O FPS indica a proteção aos raios UVB. Outra informação muito importante é o PPD, que mede a proteção ao UVA. Um bom PPD deve corresponder a 30% do valor do FPS. Por exemplo, se o FPS é 30, o PPD deve ser, no mínimo 10;Resistente à água.Isso significa que o filtro solar vai durar mais tempo na pele, ainda que a mesma esteja molhada. Note que nem todos os filtros solares são resistentes à água;Reaplicação do filtro solar.Sempre reaplicar o filtro solar após sudorese intensa/ prática de esportes, após entrar na água e a cada 3 horas;Filtro Solar sem repelente de insetos.Há filtros que possuem também repelentes de insetos, porém, dermatologistas recomendam comprar os produtos separadamente, isso porque o repelente deve ser reaplicado com menos frequência que os filtro solar. O filtro solar sempre deve ser aplicado antes do repelente
 

03 de Março • Dia Mundial da Audição

Esse dia escolhido pela Organização Mundial de Saúde para celebrar a audição, com a intenção de promover o debate sobre questões de saúde auditiva. Em todo o mundo, 360 milhões de pessoas sofrem, atualmente, de problemas auditivos, que se devem a causas diversas: doenças infeciosas, questões genéticas, complicações no momento do nascimento, uso de certos fármacos, excesso de ruído e envelhecimento.Você já observou o quanto é crescente a utilização de fone de ouvido pela população? Saímos de casa com eles em nossos ouvidos e seguimos com eles em nossa jornada de trabalho (e em muitas vezes, na volta para casa também!). Toda essa nova utilização do fone de ouvido tem preocupado as organizações internacionais e, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS) a perda auditiva já é considerada uma epidemia.COMO RECONHECER PERDA AUDITIVATivemos um importante progresso durante a última década na compreensão do sistema auditivo e as seguintes perguntas ajudarão a reconhecer perda auditiva e determinar se você precisa ter sua audição avaliada por um médico:1. Você tem dificuldade de ouvir quando está ao telefone?(   )Sim (   )Não2. Você tem dificuldade para seguir a conversa quando duas ou mais pessoas estão falando ao mesmo tempo?(   )Sim (   )Não3. As pessoas se queixam que você deixa o volume da TV muito alto? (   )Sim (   )Não4. Você tem de se esforçar para entender uma conversa?(   )Sim (   )Não5. Você tem problemas em ouvir quando há algum ruído ao seu redor?(   )Sim (   )Não6. Você pede para que as pessoas repitam o que foi dito? (   )Sim (   )Não7. Você acha que a maioria das pessoas que você conversa parece estarmurmurando?(   )Sim (   )Não8. Você responde inadequadamente quando não compreende a uma pergunta?(   )Sim (   )Não9. Você tem dificuldades em entender o discurso  de mulheres e crianças?(   )Sim (   )NãoSE VOCÊ RESPONDEU “SIM” A TRÊS OU MAIS DESSAS PERGUNTAS, PROCURE UM OTORRINOLARINGOLOGISTA.QUAIS SÃO OS TRATAMENTOS PARA A PERDA AUDITIVA?Existem diferentes tratamentos para a perda auditiva, mas sempre consulte um especialista.Se você não tratou antes e está com perda moderada severa, a solução são os aparelhos auditivos que tem como finalidade ajudar as pessoas com perda auditiva a perceber os sons.